A nova temporada do Teatro Municipal do Porto irá apresentar “Sun & Sea”, ópera performance que foi vencedora do Leão de Ouro da Bienal de Veneza em 2019, novos espetáculos de Marco da Silva Ferreira, Amala Dianor, Phillipe Quesne e El Conde de Torrefiel, e três aniversários comemorados com pompa e circunstância: o 91.º aniversário do Rivoli, o 70.º aniversário do Teatro Experimental do Porto e o 35.º aniversário do Teatro de Marionetas do Porto.


Pela primeira vez, uma temporada do Teatro Municipal do Porto foi apresentada na sua totalidade. O mesmo é dizer, a programação de setembro de 2022 a julho de 2023 foi integralmente desvendada pelo (ainda) diretor do Teatro Municipal do Porto (TMP), Tiago Guedes, de saída para assumir a direção artística da Maison de la Danse de Lyon.


Do programa previsto para a temporada 2022/23, há a contabilizar a apresentação de 95 espetáculos, num total de 160 récitas. Destes espetáculos, mais de 50 são de artistas e companhias que trabalham a partir da cidade do Porto, e 20 são internacionais, de latitudes tão diversas como África do Sul, Senegal ou Coreia do Sul, passando por França, Polónia, Israel e Suíça. Destes espetáculos, 28 são coproduções do TMP, sendo 19 feitos em parceria com artistas da cidade e dois internacionais.


A cidade está cada vez mais no mapa das artes performativas, sendo hoje um ponto de passagem de muitos artistas e companhias nas suas tournées mundiais e um ponto de criação artística de elevada qualidade.


Arranque com companhia sul-africana

Esta temporada fica marcada pelo regresso das grandes produções. Logo em setembro, a programação inicia-se com o projeto “Via Injabulo”, um programa desenvolvido pela companhia sul-africana Via Katlehon, que convidou os coreógrafos Marco da Silva Ferreira e Amala Dianor a criar dois trabalhos assentes na dança coletiva e tradicional.


O coreógrafo Marco da Silva Ferreira, marcará assim as primeiras semanas da nova temporada, já que estreará também, a 21 e 22 de outubro, “C A R C A Ç A”, um espetáculo com dez intérpretes onde a construção de uma identidade e memórias coletivas ganham forma.

 

Mas um dos maiores destaques – e motivo de maior curiosidade – é mesmo o espetáculo “Sun & Sea”, onde os espectadores são convidados a subir às varandas do auditório do Rivoli e, de cima, assistir, como voyeurs, aos acontecimentos que se desenrolam… numa praia! Esta ópera-performance, vencedora do Leão de Ouro da Bienal de Veneza em 2019, foi a proposta do pavilhão lituano nesse ano, desenvolvida pelas artistas Rugilė Barzdžiukaitė, Vaiva Grainytė e Lina Lapelytė, e leva-nos a mergulhar (quase literalmente) nas histórias de um mundo à beira do precipício. Será apresentado a 4 e 5 de novembro no Grande Auditório do Teatro Municipal - Rivoli.


Os (LA)HORDE regressam também ao Porto. Desta feita apresentam um programa que parte de quatro coreógrafas de diferentes gerações e com estéticas distintas: Lucinda Childs, Tânia Carvalho, Lasseindra Ninja e Oona Doherty. A 2 e 3 de dezembro, no Rivoli.

 

Três aniversários em cartaz

O TMP arranca 2023 em festa, com o habitual aniversário de uma das casas. O Rivoli completa 91 anos, a 20 e 21 de janeiro, e com ele celebra o 35.º aniversário do Teatro de Marionetas do Porto - Teatro de Belomonte , com a apresentação de “Como um carrossel” nesse mesmo fim de semana.


O programa de aniversário contempla ainda a apresentação de “Mystery Sonatas / for Rosa”, o regresso de Anne Teresa de Keersmaeker e da companhia Rosas.

 

E porque se fala de festas, nota ainda para o 70.º aniversário do Teatro Experimental do Porto (TEP), celebrado em junho com a estreia de “Elas entram e ficam!”. 


Reencontros no palco

A próxima temporada do TMP faz-nos ainda reencontrar com artistas que passaram pelos palcos da cidade nos últimos anos. O regresso de Philippe Quesne, em fevereiro, com o novo “Farm Fatale”; de François Chaignaud, em março, com o espetáculo “t u m u l u s”; e dos espanhóis El Conde de Torrefiel com “Una imagen interior” a 31 de março e 1 de abril.


Destaque para os programas Retratos e Double Trouble, que conhecem novas edições nos próximos meses, assim como o DDD - Festival Dias da Dança, a Mostra Estufa, o Foco Famílias e os ciclos Palcos Instáveis e Understage.


A música marcará ainda o calendário de espetáculos, com um concerto do jovem contratenor polaco Jakub Józef Orlinski acompanhado pela orquestra Il Pomo d’Oro que se estreia em Portugal no dia 25 de março; e ainda o novo encontro musical dos “cúmplices” Joana Gama e Luís Fernandes, que regressam ao palco do TMP com “There’s no Knowing”, o encontro feliz entre o piano e a eletrónica, a 17 de setembro.


Toda a programação está já disponível aqui.


Texto: José Reis

Mais artigos

  • Ágora - Cultura e Desporto do Porto


    Atualizado pela última vez 2022-07-01